Ano xlvi - Ano XLVI – Aula 02 – Profetas Maiores & Menores; Futurólogos

Professor  Lucas Lesknow

Orientador – Alonzo Windsor

Matéria – Adivinhação

Tema – Futurologia; Profetas Maiores & Menores; Futurólogos.

 

 

Com o cruzamento de mundos, bruxo e muggle, a futurologia não é algo exacto. Trata-se de uma mistura de ciências, num estudo completo de acções passadas e presentes, resultando num possível futuro, com a possibilidade de alterar, evitar ou prosseguir se necessário. Um estudo, de facto, complicado e difícil de compreender, devido á falta de exactidão. Algo que por sua vez não é desconhecido à disciplina de Adivinhação.

 

Referência aos Profetas Maiores e Menores, nos estudos antigos. Provenientes de uma educação muggle, com conhecimento bruxos. Capacidades visionárias, sendo por intuição, como por meio mágico, resultando em potenciais futuros. Uns certos, outros não, mas com base num bem maior, e possivelmente orientado à religião.

 

Paulo de Tarso como futurólogo, através de visões, que resultou numa divergência no caminho que seguia, alterando o seu objectivo de vida. Seguidor de ideais completamente diferentes aos do seu passado, resultando em acções diferentes no futuro. Novamente, com orientação à religião.

 

Michel de Nostrodame, conhecido como Nostrodamus, conhecido pela sua obra “ As profecias”. Seu dom da vidência foi colocada em causa, sendo diagnosticado com Epilepsia Psíquica, que na verdade eram visões turvas em forma de convulsões “mágicas”, sem qualquer dado físico. Visionário Nato, com argumentos fortes em todas as suas descrições, umas mais breves, outras nem tanto. Acontecendo quase sempre o que via, como peças de puzzle.

 

Jules Verne, como pai da futurologia, sendo alvo de criticas nas suas obras de “ficção cientifica”. Alusão às suas obras que coincidem como possíveis futuros. “Da Terra à Lua”, no final do século XIX, e com a concretização do acto no final do século XX. Idealizador e Criador de possíveis futuros, com a capacidade de os conseguir modificar minimamente, resultando num futuro mais forte e perceptível.

 

Menção de Eric Blair, conhecido como George Orwell, e John Campbell, como visionários do presente, usando o comportamento como possível divinação. Comportamento gera comportamento, resultando num futuro. Com orientações ficcionais, ambos visionários de um bem maior: a análise pública que fez mudar a sociedade, resultando num futuro modificável.

 

 

Pontuação

Sem pontuação.

 

Tarefa

Sem tarefa